- Cremos em um Ministério Plural

Entendemos que o governo da igreja deve ser exercido por vários componentes vocacionados, e por um líder sênior. O governo – ou liderança – é exercido na forma de presbitério. Este é um modelo que envolve igualdade e liderança, baseado na Divindade, estabelecido na família natural, instituída por Deus, e ordenado para a Igreja no Novo Testamento (At 13.1,2; 14.23; Tt 1.5).
 
- Cremos que na igreja, os cinco ministérios devem ser atuantes.
 
Conforme declaração expressa da Palavra de Deus, cremos ser necessário que os cinco chamados ministeriais sejam plenos, A fim de que se promova o aperfeiçoamento dos santos e a edificação do corpo de Cristo (Ef 4.11,12).
 
- Cremos no modelo de igreja local.
 
Entendemos que o governo local é o modelo da igreja primitiva, e uma característica que Deus deseja, ainda  para os nossos dias. A partir das experiências vividas numa estrutura de igreja local é que compreendemos e realizamos os planos e propósitos de Deus.
 
Uma igreja de governo local é: Auto-Governante (Tg 5.14); Auto-Sustentadora (Ml 3.10) e Auto-Propagadora (At 2.47).
 
- Cremos na importância da comunhão com outros ministérios.
 
Para desfrutar de boa saúde espiritual e crescer na direção do propósito de Deus para ela, uma igreja deve buscar e realizar alianças com ministérios co-irmãos, além de desenvolver um relacionamento de cobertura espiritual para seus membros e para o próprio presbitério.
 
Existe uma unção especial de Deus na união dos irmãos (Sl 133); há um fortalecimento especial que nos capacita a lutar e prevalecer contra as forças bem organizadas do inferno. Por isso é fundamental andarmos em comunhão, união e cobertura com outros ministérios idôneos (Fl 2. 3, 4; Ef 6.10-20).
 
- Cremos na Adoração como uma maneira poderosa para tocar o coração de Deus
 
Entendemos que o padrão para a Adoração se acha na ordem davídica descrita nos Salmos e exercida no Tabernáculo de Davi. Na nova dispensação, somos colocados como sacerdotes espirituais da Nova Aliança, chamados a oferecer sacrifícios espirituais a Deus. Um dos sacrifícios primários é o fruto de nossos lábios, que expressam palavras de amor e adoração ao nosso Deus. A adoração davídica é expressiva, caracterizada por atos como bater palmas, clamar, cantar, dançar, erguer as mãos, curvar-se e ajoelhar-se (Jo 4.23,24; Hb 13.15).
 
- Cremos na intercessão como arma poderosa para vencer Satanás
 
Temos compreendido que tanto a oração pessoal como a coletiva é absolutamente essencial para o sucesso da Igreja; ela é gerada e permanece firme através da oração. Na Bíblia, ela é definida como “casa de oração para todas as nações”. Se este é o nome que Deus escolheu para Sua Casa, a oração deve ser uma das práticas principais da igreja (Is 56.7; Ne 1.4-11).
 
- Cremos que a Igreja deve ser agente de Deus para a obtenção de todas as bênçãos espirituais em Cristo
 
Por intermédio de Jesus Cristo, temos direito à quebra de todas as maldições, à cura da nossa alma e do nosso corpo. Entendemos que os pactos malignos feitos no passado, as maldições hereditárias, e as situações que marcaram a alma, já foram cancelados pela cruz do Calvário. Por isso, cremos na necessidade da identificação, renuncia, abandono e liberação do perdão, para que haja uma plena libertação. (Gl 3. 13; Is 53; Pv 4.20-22; 1 Ts 5.23; Jr 4.19; Sl 147.3; Jr 32.38-44).
 
- Cremos nos ministérios Profético e Apostólico
 
Entendemos que o ministério apostólico está sendo restaurado com o intuito de firmar a igreja de Cristo. Assim também o ministério profético, que caminha lado a lado com o apostólico, e tem como finalidade trazer do trono de Deus Sua direção (Ef 2.20).
 
- Cremos em Autoridade Espiritual
 
Este princípio é claramente mostrado em toda a Bíblia. Todas as coisas são regidas por ele. A autoridade espiritual é uma proteção para todo o que a reconhece e se submete a ela. “não é bom que o homem esteja só” (Gn 2.18). Uma pessoa solitária está mais exposta às artimanhas do diabo. Se, por outro lado, está sob autoridade espiritual, tem a proteção e o respaldo da Palavra de Deus. Não é bom que alguém fique solto, sem cobertura. Além disso, somente submetendo-nos a uma autoridade temos nós mesmos legalidade para exercê-la (Mt 8.5-9).
 
SEM SUBMISSÃO = SEM AUTORIDADE
EM SUBMISSÃO = EM AUTORIDADE
 
- Cremos que o Evangelismo é a menina dos olhos de Deus
 
O evangelismo é a última instrução de Jesus, e o primeiro objetivo de toda igreja (Mt 28.18-20).